Reflexão do Dia

  • 0

Reflexão do Dia

Categoria : Publicações ENL

Porém lembra-te de mim, quando tudo te correr bem; e rogo-te que sejas bondoso para comigo, e faças menção de mim a Faraó, e me faças sair desta casa (Gênesis 40:14). José havia sido preso injustamente. Mesmo assim procedeu fielmente e foi usado para transmitir uma boa notícia ao copeiro-chefe do rei. Este havia agido de forma equivocada e fora justamente preso. Certo dia teve um sonho. Contou a José que interpretou dando-lhe a boa notícia de sua libertação. Porém, José disse-lhe: “Lembra-te de mim”. Mas o copeiro-chefe não se lembrou de José. Pior ainda: se esqueceu dele. Somente após dois anos aquele homem foi se lembrar de José. Isso porque iria precisar dele para interpretar o sonho de Faraó. Existem muitas pessoas com a mesma índole deste copeiro-chefe. Quando é preciso solicitam ajuda, ficam agradecidas pelo que receberam, prometem que se lembrarão de quem as ajudou, mas logo tudo cai no esquecimento. Afinal de contas seu interesse foi atendido. Lembrar-se do outro? Para que? Não preciso mais! A ingratidão é algo que entristece tanto o coração de Deus quanto dos homens. É terrível quando alguém promete algo e não cumpre. Jesus, como sempre, foi o maior exemplo. Quando o ladrão Lhe pediu para ser lembrado quando estivesse no Seu Reino imediatamente recebeu a resposta: “Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso”. Jesus Se prontificou imediatamente e cumpriu a promessa. Qual tem sido nosso procedimento diante das promessas feitas a quem nos fez o bem? Mostramo-nos agradecidos, fazemos promessas, mas deixamos cair no esquecimento? Esforçamo-nos para lembrar da pessoa que nos ajudou? Algum dia ela poderá precisar de nossa ajuda. E o que estamos fazendo? Apenas nos envolvendo com nossos interesses pessoais? Que neste dia, ao iniciar o último trimestre do ano, possamos nos lembrar de todos aqueles que nos fizeram o bem. Pode ter sido há muito tempo, mas é possível trazer à memória o bem que nos foi feito. Oremos por eles, abençoemos e, se preciso for tenhamos disposição para prestar ajuda, solidariedade, colaboração. Por mais simples que seja nosso gesto, será abençoador e marcante. acesse nosso site: www.edificandoumnovolar.com

Uma foto publicada por Ciro Eustáquio Lima de Paula (@ciro.depaula) em


Sobre autor

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Deixe uma resposta

Busca

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!

Agenda

< 2017 >
Março
DomSegTerQuaQuiSexSab
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Reflexão do Dia

Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha (Mateus 7:24-25). O lar edificado na Rocha está seguro porque seus fundamentos são sólidos. Esta casa é constituída por um homem que reconhece e pratica suas responsabilidades contidas na Palavra na condição de marido. Entende a necessidade de amar sua esposa como Cristo amou a igreja. Busca satisfazer os desejos de seu coração, a acolhe, sustenta e lhe faz bem. Ele tem o entendimento de que, se não cumprir com as determinações contidas nas Sagradas Escrituras não lhe será possível ser bem sucedido. Por maior que seja seu sucesso na vida profissional, na sociedade e no ministério, se não estiver cumprindo com seu papel dentro de casa, não será um homem feliz. Este lar ainda tem uma mulher consciente de que Deus a colocou como auxiliadora idônea e como tal deve proceder. Honra e respeita o marido, lhe faz bem todos os dias e cuida para que sua casa esteja sempre organizada. Se ela não se posicionar como alguém que reconhece a posição de seu marido, sofrerá muitos reveses, pois terá a tendência de agir por conta própria, entrar em competição com ele e provocar situações de conflitos. Sabe-se que a família está sujeita a enfrentar a chuva, tempestades, ventos fortes que sopram tentando abalar sua estrutura. No entanto, apesar de todas as adversidades, ela permanecerá firme, equilibrada e não será abalada pelas intempéries, pois tem um homem e uma mulher prudentes e que edificaram sua casa em firmes fundamentos. Por ser firmado na Rocha este lar será sempre um local de adoração, um porto seguro, onde cada pessoa sentirá segurança. Nada abala a fé e convicção de que Deus está no controle. Os filhos aprendem com o bom exemplo de seus pais e crescem ampliando o conhecimento para também ajudarem na edificação de seu lar em Cristo. Mais tarde, quando se casarem seus lares serão igualmente firmados na Rocha porque aprenderam, desde a tenra idade... Continua:

Uma foto publicada por Ciro Eustáquio Lima de Paula (@ciro.depaula) em