A Beleza da Intimidade Sexual

A Beleza da Intimidade Sexual

Category : Publicações ENL

“É da vontade do Criador que o casal seja bem-sucedido nas suas relações íntimas” – Pra. Iara Diniz.

Por mais que tentemos, não conseguimos separar causa e efeito. Se a vida sexual do casal está equilibrada, as demais áreas prosseguem de maneira satisfatória. Por outro lado, se as coisas não vão bem na comunicação, nas finanças, na vida espiritual etc., sem dúvida nenhuma refletirão negativamente no relacionamento íntimo. Isso prova que não é possível separar uma coisa da outra. O casamento ideal é aquele que busca o equilíbrio, o aperfeiçoamento e o crescimento das relações como um todo. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou. (Gn 1.27.) Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom (Gn 1.31). Homem e mulher, com a atração natural que deve haver entre um e outro, são algo que Deus viu que era muito bom. O relacionamento sexual dentro do casamento é bonito, puro e agradável a Deus. É da vontade do Criador que o casal seja bem-sucedido nas suas relações íntimas.

Para isso, é preciso que se estabeleça um clima de respeito mútuo, consideração, valorização e uma comunicação bastante aberta em torno do assunto. Muitos casais apresentam dificuldades em dialogar sobre o relacionamento sexual. Em parte, essa dificuldade é uma herança proveniente de alguns conceitos errados. Por exemplo: “Sexo é pecado”; “Sexo é apenas para a procriação”. O sexo só é pecado quando praticado fora do casamento ou inspirado nas disfunções propagadas pelo mercado sujo do sexo deste nosso tempo. O diabo trabalha sempre em cima de extremos. Até a década de 1950, ele trabalhou no extremo de que tudo era pecado. Os pais não conversavam com os filhos a respeito de sexo. Às esposas, não era permitido o direito de sentir prazer, pois julgavam o ato apenas como fonte de procriação. Esta era uma doutrina enfatizada pela igreja católica, como segmento de um falso puritanismo. Filhos cheios de medo e revolta, esposas oprimidas e infelizes, maridos infiéis que buscavam satisfazer suas fantasias sexuais nos prostíbulos.

Com a revolução social dos anos 60, as pessoas passaram a descortinar o outro extremo: “tudo é permitido desde que você se satisfaça”. Esta foi a geração do “paz e amor”: sexo livre,  drogas, relacionamentos sem compromisso. Trinta anos depois, temos o homossexualismo, o lesbianismo, os filhos chamados de produção independente, o aborto, o adultério e o divórcio sendo encarados e praticados com uma boa dose de orgulho. Tanto num extremo quanto no outro, o objetivo daquele que se opõe à prática do bem é um só: destruir a família. A Bíblia, que é a Palavra do inventor do sexo, apresenta o equilíbrio, que traz segurança e realização ao homem. Precisamos, portanto, conhecer o que a Bíblia fala sobre sexo, pois ainda que ela não apresente explicitamente respostas a todos os questionamentos, temos, entretanto, com clareza, princípios gerais de vida que devem pontilhar nossa estrada conjugal.

Pra. Iara Diniz


About Author

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Leave a Reply

Busca

Reflexão do Dia

"Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?" (Mateus 16:26). Jesus disse que, por mais que o homem se esforce e até mesmo ganhe o mundo inteiro, de nada valerá seu esforço se vier a perder sua alma. Podemos fazer uma analogia deste versículo com a família. Existem pessoas que se matam de trabalhar quase que ininterruptamente: dia e noite, noite e dia, entra ano sai ano. Estão sempre ligadas, como se houvesse nelas um gerador que funciona 24 horas por dia. Não se sentem no direito de um tempo de descanso e relaxamento com a família. Férias então? “Nem pensar.” “É pura perda de tempo!”. O seu principal foco é sempre o trabalho. Alguns até dizem que seu nome é “trabalho” e o sobrenome “hora extra”. Não é bom que seja assim. Todo exagero é prejudicial. Foi Deus quem determinou ao homem trabalhar. E isso desde o Jardim do Éden. É preciso trabalhar, pois é através do suor do rosto que são gerados os recursos para o sustento familiar. No entanto, faz-se necessário que marido e esposa estejam atentos às necessidades mútuas bem como de seus filhos. Uma família que o marido sai cedo chega tarde e não tem condições de usufruir da companhia dos filhos até mesmo nos finais de semana crescerá manca. Há que se considerar também a esposa que se vira para dar conta dos afazeres do lar. Cuida das crianças e ainda resolve outras questões por causa da ausência do marido. E quando também a mulher se encontra nesta condição? Neste caso quem sofre são os avós, colocados por muitos como babás de seus netos. Maridos e esposas, tenham consciência da necessidade de viverem a vida comum do lar com discernimento. Procurem dar qualidade ao tempo livre. Chegar a casa de verdade, doar-se um ao outro, ouvir as crianças, brincar com elas, procurar saber do cônjuge como foi o dia são atitudes que facilitam e ajudam a manter uma família alegre, unida e feliz. Trabalhem, produzam, mas não se esqueçam da família. De nada adiantará todo o sucesso profissional mediante o fracasso na família. ------------------- Texto: @ciro.depaula -------------------- #EdificandoUmNovoLar #Family

Uma publicação compartilhada por Edificando Um Novo Lar (@edificandoumnovolar) em

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!