A Beleza da Intimidade Sexual

  • 0

A Beleza da Intimidade Sexual

Categoria : Publicações ENL

“É da vontade do Criador que o casal seja bem-sucedido nas suas relações íntimas” – Pra. Iara Diniz.

Por mais que tentemos, não conseguimos separar causa e efeito. Se a vida sexual do casal está equilibrada, as demais áreas prosseguem de maneira satisfatória. Por outro lado, se as coisas não vão bem na comunicação, nas finanças, na vida espiritual etc., sem dúvida nenhuma refletirão negativamente no relacionamento íntimo. Isso prova que não é possível separar uma coisa da outra. O casamento ideal é aquele que busca o equilíbrio, o aperfeiçoamento e o crescimento das relações como um todo. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou. (Gn 1.27.) Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom (Gn 1.31). Homem e mulher, com a atração natural que deve haver entre um e outro, são algo que Deus viu que era muito bom. O relacionamento sexual dentro do casamento é bonito, puro e agradável a Deus. É da vontade do Criador que o casal seja bem-sucedido nas suas relações íntimas.

Para isso, é preciso que se estabeleça um clima de respeito mútuo, consideração, valorização e uma comunicação bastante aberta em torno do assunto. Muitos casais apresentam dificuldades em dialogar sobre o relacionamento sexual. Em parte, essa dificuldade é uma herança proveniente de alguns conceitos errados. Por exemplo: “Sexo é pecado”; “Sexo é apenas para a procriação”. O sexo só é pecado quando praticado fora do casamento ou inspirado nas disfunções propagadas pelo mercado sujo do sexo deste nosso tempo. O diabo trabalha sempre em cima de extremos. Até a década de 1950, ele trabalhou no extremo de que tudo era pecado. Os pais não conversavam com os filhos a respeito de sexo. Às esposas, não era permitido o direito de sentir prazer, pois julgavam o ato apenas como fonte de procriação. Esta era uma doutrina enfatizada pela igreja católica, como segmento de um falso puritanismo. Filhos cheios de medo e revolta, esposas oprimidas e infelizes, maridos infiéis que buscavam satisfazer suas fantasias sexuais nos prostíbulos.

Com a revolução social dos anos 60, as pessoas passaram a descortinar o outro extremo: “tudo é permitido desde que você se satisfaça”. Esta foi a geração do “paz e amor”: sexo livre,  drogas, relacionamentos sem compromisso. Trinta anos depois, temos o homossexualismo, o lesbianismo, os filhos chamados de produção independente, o aborto, o adultério e o divórcio sendo encarados e praticados com uma boa dose de orgulho. Tanto num extremo quanto no outro, o objetivo daquele que se opõe à prática do bem é um só: destruir a família. A Bíblia, que é a Palavra do inventor do sexo, apresenta o equilíbrio, que traz segurança e realização ao homem. Precisamos, portanto, conhecer o que a Bíblia fala sobre sexo, pois ainda que ela não apresente explicitamente respostas a todos os questionamentos, temos, entretanto, com clareza, princípios gerais de vida que devem pontilhar nossa estrada conjugal.

Pra. Iara Diniz


Sobre autor

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Deixe uma resposta

Busca

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!

Agenda

< 2017 >
Abril
DomSegTerQuaQuiSexSab
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      

Reflexão do Dia

Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha (Mateus 7:24-25). O lar edificado na Rocha está seguro porque seus fundamentos são sólidos. Esta casa é constituída por um homem que reconhece e pratica suas responsabilidades contidas na Palavra na condição de marido. Entende a necessidade de amar sua esposa como Cristo amou a igreja. Busca satisfazer os desejos de seu coração, a acolhe, sustenta e lhe faz bem. Ele tem o entendimento de que, se não cumprir com as determinações contidas nas Sagradas Escrituras não lhe será possível ser bem sucedido. Por maior que seja seu sucesso na vida profissional, na sociedade e no ministério, se não estiver cumprindo com seu papel dentro de casa, não será um homem feliz. Este lar ainda tem uma mulher consciente de que Deus a colocou como auxiliadora idônea e como tal deve proceder. Honra e respeita o marido, lhe faz bem todos os dias e cuida para que sua casa esteja sempre organizada. Se ela não se posicionar como alguém que reconhece a posição de seu marido, sofrerá muitos reveses, pois terá a tendência de agir por conta própria, entrar em competição com ele e provocar situações de conflitos. Sabe-se que a família está sujeita a enfrentar a chuva, tempestades, ventos fortes que sopram tentando abalar sua estrutura. No entanto, apesar de todas as adversidades, ela permanecerá firme, equilibrada e não será abalada pelas intempéries, pois tem um homem e uma mulher prudentes e que edificaram sua casa em firmes fundamentos. Por ser firmado na Rocha este lar será sempre um local de adoração, um porto seguro, onde cada pessoa sentirá segurança. Nada abala a fé e convicção de que Deus está no controle. Os filhos aprendem com o bom exemplo de seus pais e crescem ampliando o conhecimento para também ajudarem na edificação de seu lar em Cristo. Mais tarde, quando se casarem seus lares serão igualmente firmados na Rocha porque aprenderam, desde a tenra idade... Continua:

Uma foto publicada por Ciro Eustáquio Lima de Paula (@ciro.depaula) em