Reflexão do Dia – O Poder da Língua

Reflexão do Dia – O Poder da Língua

Category : Publicações ENL

A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira (Provérbios 15:1). Já observei algumas famílias reunidas que conversavam animadamente. De repente alguém falou algo que não agradou a um ou ao outro. Logo vem uma palavra dura, azeda, cheia de reprimenda. Em seguida vem outra palavra pior ainda que faz com que toda aquela animação seja transformada em tumulto. O papo agradável acaba, os corações se fecham, o ambiente fica pesado. Tudo por causa de uma palavra fora de hora, uma expressão mal colocada. Esta é a razão pela qual muitas famílias não conseguem manter um diálogo saudável. Não existe interesse de um para com o outro. É notável a impaciência dentro da casa. As respostas são cada vez mais duras. Falta respeito e consideração dos pais para com os filhos, dos filhos para com seus pais, entre irmãos e demais familiares. Precisamos estar atentos para que tal fato não aconteça. Isso somente provocará situações de estresse, conflitos e confusão no lar. Se atentarmos para os ensinamentos bíblicos observaremos que é melhor controlar as emoções, manter a calma e falar brandamente com a outra pessoa. A altura e tonalidade da voz, a expressão facial, a maneira como as palavras são ditas farão toda a diferença. Se todos fizessem assim os conflitos familiares praticamente não existiriam. Haveria mais compreensão entre as pessoas e o ambiente familiar seria bem diferente. Mas, lamentavelmente muitos ainda não conseguiram aprender esta lição. Sentem-se invadidos, desonrados, feridos diante desta ou daquela situação e logo procuram se defender atacando com palavras que somente ferem a outra pessoa. Por qual razão optar pelo caminho mais difícil? Por qual motivo, ao invés de zelar pela paz no lar, decidir-se pelo ataque à outra pessoa falando coisas que a aborrecerão? Precisamos aprender à luz deste verso de Provérbios. Costumo dizer que precisamos contar até dez, cem e, se necessário for até mil para evitar que saia de nossa boca alguma palavra que, ao invés de abençoar provoque a ira. Que neste dia possamos vigiar em todo o tempo para somente proferirmos palavras abençoadoras aos nossos entes queridos.

Uma foto publicada por Ciro Eustáquio Lima de Paula (@ciro.depaula) em


About Author

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Leave a Reply

Busca

Reflexão do Dia

"Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?" (Mateus 16:26). Jesus disse que, por mais que o homem se esforce e até mesmo ganhe o mundo inteiro, de nada valerá seu esforço se vier a perder sua alma. Podemos fazer uma analogia deste versículo com a família. Existem pessoas que se matam de trabalhar quase que ininterruptamente: dia e noite, noite e dia, entra ano sai ano. Estão sempre ligadas, como se houvesse nelas um gerador que funciona 24 horas por dia. Não se sentem no direito de um tempo de descanso e relaxamento com a família. Férias então? “Nem pensar.” “É pura perda de tempo!”. O seu principal foco é sempre o trabalho. Alguns até dizem que seu nome é “trabalho” e o sobrenome “hora extra”. Não é bom que seja assim. Todo exagero é prejudicial. Foi Deus quem determinou ao homem trabalhar. E isso desde o Jardim do Éden. É preciso trabalhar, pois é através do suor do rosto que são gerados os recursos para o sustento familiar. No entanto, faz-se necessário que marido e esposa estejam atentos às necessidades mútuas bem como de seus filhos. Uma família que o marido sai cedo chega tarde e não tem condições de usufruir da companhia dos filhos até mesmo nos finais de semana crescerá manca. Há que se considerar também a esposa que se vira para dar conta dos afazeres do lar. Cuida das crianças e ainda resolve outras questões por causa da ausência do marido. E quando também a mulher se encontra nesta condição? Neste caso quem sofre são os avós, colocados por muitos como babás de seus netos. Maridos e esposas, tenham consciência da necessidade de viverem a vida comum do lar com discernimento. Procurem dar qualidade ao tempo livre. Chegar a casa de verdade, doar-se um ao outro, ouvir as crianças, brincar com elas, procurar saber do cônjuge como foi o dia são atitudes que facilitam e ajudam a manter uma família alegre, unida e feliz. Trabalhem, produzam, mas não se esqueçam da família. De nada adiantará todo o sucesso profissional mediante o fracasso na família. ------------------- Texto: @ciro.depaula -------------------- #EdificandoUmNovoLar #Family

Uma publicação compartilhada por Edificando Um Novo Lar (@edificandoumnovolar) em

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!