Reflexão do Dia – Ensina a Criança…

  • 0

Reflexão do Dia – Ensina a Criança…

Category : Publicações ENL

De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra (Salmos 119:9). Fui criado pela minha avó desde 3 anos de idade. Certo dia, quando eu tinha aproximadamente 8 anos, não lembro bem o motivo, havia saído com meu irmão. Talvez tenhamos ido comprar alguma coisa na mercearia ou coisa parecida. O certo é que passamos em frente a um armarinho, onde havia algumas centenas de bolinhas de gude coloridas. Aquelas que enchem os olhos principalmente dos meninos. Agora imagine a surpresa: a vitrine estava quebrada, as bolinhas ali à mercê e melhor ainda, o dono da loja não estava. Meu irmão e eu não pensamos duas vezes. Cada um encheu seu bolso com as bolinhas e fomos imediatamente para casa. Chegando lá imediatamente começamos a brincar com as tais bolinhas de gude. Minha avó que não era nada boba e sabedora de que não tínhamos dinheiro para comprar logo nos questionou. E o aperto para dizer que havíamos roubado? Inventamos que um moço tinha nos dado. “Mas quem é esse moço? Vamos lá nele para eu saber dessa história direito.” “Mas, vó ele já foi embora!” Não teve jeito. Confessamos nosso pecado para a vovó Antônia. Sabem o que ela fez? Pegou-nos pelo braço e nos levou para devolver as bolinhas de gude. Ela disse ao dono: “Olha moço, meus netos roubaram essas bolinhas e vieram devolvê-las”. Ele nos olhou com surpresa enquanto lhe pedíamos desculpas e lhe entregávamos as bolinhas de volta. Chegando a casa, nossa avó nos deu uma lição da qual nunca me esqueci. Se minha avó dissesse que estava tudo bem, não tinha nada a ver, a minha história seria diferente. Eram apenas bolinhas de gude. “Toda criança gosta de brincar disso. Deixa prá lá.” Se ela tivesse agido desta forma talvez ali estivesse nascendo um marginal, que começa roubando coisas de pequeno valor e depois parte para as maiores. Dou graças a Deus pela vida da vó Antônia que me ensinou a andar no caminho certo. Entreguei meu coração a Jesus num sábado e no domingo pela manhã fui à igreja. Ao final do culto da noite lá estava ela feliz para me apresentar ao pastor da igreja. Vale a pena perseverar na educação dos filhos fazendo-os discípulos de Jesus.

Uma foto publicada por Ciro Eustáquio Lima de Paula (@ciro.depaula) em


About Author

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Leave a Reply

Busca

Reflexão do Dia

"Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?" (Mateus 16:26). Jesus disse que, por mais que o homem se esforce e até mesmo ganhe o mundo inteiro, de nada valerá seu esforço se vier a perder sua alma. Podemos fazer uma analogia deste versículo com a família. Existem pessoas que se matam de trabalhar quase que ininterruptamente: dia e noite, noite e dia, entra ano sai ano. Estão sempre ligadas, como se houvesse nelas um gerador que funciona 24 horas por dia. Não se sentem no direito de um tempo de descanso e relaxamento com a família. Férias então? “Nem pensar.” “É pura perda de tempo!”. O seu principal foco é sempre o trabalho. Alguns até dizem que seu nome é “trabalho” e o sobrenome “hora extra”. Não é bom que seja assim. Todo exagero é prejudicial. Foi Deus quem determinou ao homem trabalhar. E isso desde o Jardim do Éden. É preciso trabalhar, pois é através do suor do rosto que são gerados os recursos para o sustento familiar. No entanto, faz-se necessário que marido e esposa estejam atentos às necessidades mútuas bem como de seus filhos. Uma família que o marido sai cedo chega tarde e não tem condições de usufruir da companhia dos filhos até mesmo nos finais de semana crescerá manca. Há que se considerar também a esposa que se vira para dar conta dos afazeres do lar. Cuida das crianças e ainda resolve outras questões por causa da ausência do marido. E quando também a mulher se encontra nesta condição? Neste caso quem sofre são os avós, colocados por muitos como babás de seus netos. Maridos e esposas, tenham consciência da necessidade de viverem a vida comum do lar com discernimento. Procurem dar qualidade ao tempo livre. Chegar a casa de verdade, doar-se um ao outro, ouvir as crianças, brincar com elas, procurar saber do cônjuge como foi o dia são atitudes que facilitam e ajudam a manter uma família alegre, unida e feliz. Trabalhem, produzam, mas não se esqueçam da família. De nada adiantará todo o sucesso profissional mediante o fracasso na família. ------------------- Texto: @ciro.depaula -------------------- #EdificandoUmNovoLar #Family

Uma publicação compartilhada por Edificando Um Novo Lar (@edificandoumnovolar) em

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!