Reflexão do Dia – Canais de Bênçãos na Família

Reflexão do Dia – Canais de Bênçãos na Família

Category : Publicações ENL

Tendo Esaú quarenta anos de idade, tomou por esposa a Judite, filha de Beeri, heteu, e a Basemate, filha de Elom, heteu. Ambas se tornaram amargura de espírito para Isaque e para Rebeca (Gênesis 26:34-35). O casamento é uma experiência ansiosamente esperada pela maioria das pessoas. Desde a tenra idade os sonhos são alimentados pelas estórias dos livros escolares, dos romances e filmes que sempre mencionam um final feliz. Deve ser algo inesquecível e que faz o ser humano se sentir realizado. Afinal de contas sonhos existem para serem sonhados e realizados. A concretização deste projeto deveria ser de profunda alegria tanto para os pais quanto para os filhos. No entanto observa-se uma grande variedade de conflitos, não entre o casal, mas envolvendo sogro, sogra, genro e nora. É interessante como as pessoas sorriem com certa desconfiança quando ouvem falar que os sogros são uma grande bênção. Não são poucas que fazem alguma observação pejorativa ao observarem um de nossos livretos e se deparam com este título. Não foi boa a experiência de Isaque e Rebeca quanto ao filho Esaú. Este decidiu se casar com duas mulheres. Naquela época era algo normal e permitido. No entanto, tanto uma quanto outra se tornaram amargura de espírito para eles. A Bíblia não relata, mas imagino que podem ter provocado divisão na família, talvez em suas atitudes não demonstraram amor ou então tentaram promover o distanciamento entre pais e filho. Os pais sonham com o casamento dos filhos desde a tenra idade. Oram, sonham, planejam, incentivam até que o fato ocorre. A chegada dos genros e noras sempre é motivo de grande alegria. Temos muitas noras que, como Rute, são bênçãos na vida de suas sogras e sogros. No entanto, é lamentável dizer que existem por aí muitas Judites e Basemates que, ao invés de proporcionarem alegria aos sogros se tornam amargura de espírito. Não deveria ser assim. Que haja da parte de genros e noras o desejo de abençoar seus sogros, sendo canais de bênçãos na família à qual foram integradas e se tornem motivo de grande alegria para todos. Você é um genro ou nora que promove alegria e gozo no coração de seus sogros? #Edificandoumnovolar

Uma foto publicada por Ciro Eustáquio Lima de Paula (@ciro.depaula) em


About Author

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Leave a Reply

Busca

Reflexão do Dia

"Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?" (Mateus 16:26). Jesus disse que, por mais que o homem se esforce e até mesmo ganhe o mundo inteiro, de nada valerá seu esforço se vier a perder sua alma. Podemos fazer uma analogia deste versículo com a família. Existem pessoas que se matam de trabalhar quase que ininterruptamente: dia e noite, noite e dia, entra ano sai ano. Estão sempre ligadas, como se houvesse nelas um gerador que funciona 24 horas por dia. Não se sentem no direito de um tempo de descanso e relaxamento com a família. Férias então? “Nem pensar.” “É pura perda de tempo!”. O seu principal foco é sempre o trabalho. Alguns até dizem que seu nome é “trabalho” e o sobrenome “hora extra”. Não é bom que seja assim. Todo exagero é prejudicial. Foi Deus quem determinou ao homem trabalhar. E isso desde o Jardim do Éden. É preciso trabalhar, pois é através do suor do rosto que são gerados os recursos para o sustento familiar. No entanto, faz-se necessário que marido e esposa estejam atentos às necessidades mútuas bem como de seus filhos. Uma família que o marido sai cedo chega tarde e não tem condições de usufruir da companhia dos filhos até mesmo nos finais de semana crescerá manca. Há que se considerar também a esposa que se vira para dar conta dos afazeres do lar. Cuida das crianças e ainda resolve outras questões por causa da ausência do marido. E quando também a mulher se encontra nesta condição? Neste caso quem sofre são os avós, colocados por muitos como babás de seus netos. Maridos e esposas, tenham consciência da necessidade de viverem a vida comum do lar com discernimento. Procurem dar qualidade ao tempo livre. Chegar a casa de verdade, doar-se um ao outro, ouvir as crianças, brincar com elas, procurar saber do cônjuge como foi o dia são atitudes que facilitam e ajudam a manter uma família alegre, unida e feliz. Trabalhem, produzam, mas não se esqueçam da família. De nada adiantará todo o sucesso profissional mediante o fracasso na família. ------------------- Texto: @ciro.depaula -------------------- #EdificandoUmNovoLar #Family

Uma publicação compartilhada por Edificando Um Novo Lar (@edificandoumnovolar) em

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!