Pra Iara Diniz traz palavra desafiadora às mulheres: “É hora de amadurecer”

Pra Iara Diniz traz palavra desafiadora às mulheres: “É hora de amadurecer”

Category : Publicações ENL

Neste ano, o Chá de Outono, realizando pelo Ministério Edificando um novo lar reuniu cerca de 100 mulheres para ouvir da líder do ministério, Pra Iara Diniz, uma palavra de Deus para o coração delas.

O texto base para a ministração foi 1 Coríntios 13:11 Paulo diz: “Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino”. O tema: maturidade espiritual e emocional.

Segundo o dicionário a palavra meninice significa idade ou qualidade de quem é menino, criancice e infantilidade. Já maturidade significa perfeição, estabilidade afetiva de um indivíduo, prudência, excelência.

Em Filipenses 3:12 Paulo fala: “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus”. Paulo fala sobre a maturidade espiritual, aquilo que podemos ainda viver em Cristo.

Paulo fala da morte do eu, de estar com o eu completamente submetido à vontade de Deus. Passamos por vários estágios na vida e não podemos deixar de buscar esta maturidade em casa passo que damos. Maturidade espiritual não depende de idade.

Estamos vivendo um tempo em que mais do que nunca as pessoas precisam ver Jesus em nós. É preciso que as mulheres (no caso) busquem esta maturidade. Deus nos alerta em todo o tempo que chegou a hora de amadurecer Nele.

Algumas evidências de maturidade espiritual:

1)      Passamos a revelar a sabedoria que vem de Deus e nos tornamos agentes transformadores. Em 1Coríntios 3:18 temos: “Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio”. Pra Iara cita também o Sermão da Montanha, em Mateus 5, precisamos entender que a sabedoria de Deus é loucura para este mundo e que em todo o tempo estaremos nadando contra a maré. O Sermão da Montanha traz conselhos de Jesus que iam completamente contra o que as pessoas pensavam na época e ainda causa muita discordância hoje. A sabedoria que devemos carregar e que vai refletir em nossas ações é loucura para este mundo.

2)      Avançamos no nível da oração: Quando somos crianças em Deus, gastamos tempo de oração, nos concentramos muito naquilo que Deus pode nos dar. Não que seja errado pedir, em João 3:27 temos “O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu”. No entanto, quando amadurecemos em Deus, passamos a orar “o que eu posso lhe oferecer Senhor, como posso ser usada (o) para cumprir Teu propósito, os Teus planos”. Tiramos os olhos de nós mesmos e colocamos os olhos nas causas de Deus, na vontade Dele. E com isso, passamos a ter mais prazer na oração, no tempo de oração, no tempo a sós com Deus.

3)      Crescemos na intimidade com o Senhor: Deus passa a falar conosco e a nos revelar Teus segredos. Ficamos mais sensíveis à voz do Espírito Santo de Deus.

4)      Passamos a ter uma nova capacidade de amar, como em 1 Cortíntios 13: Passamos a ter uma nova relação com o outro. Passamos a ter a compaixão que Deus tem.

5)      Mais prazer no Senhor e nas coisas Dele do que nas coisas do mundo: Quando isso acontece o próprio Senhor tem prazer em nos dar, nos abençoar. Isso significa alinhar nossa vida com o real projeto de Deus. Quando não alinhamos nossos projetos aos de Deus, isso se torna peso para nós. Meditar em Colossenses 3.

6)      Passamos a contar nossas próprias experiências: falamos mais do que Deus opera em nossas vidas, testemunhos, milagres. Deixamos de contar experiências dos outros e passamos a ser um testemunho vivo.

7)      Passamos a viver uma vida conforme a vontade de Deus: Vivemos como em Gálatas 5:16 (“Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne”). Passamos caminhar firmemente nos caminhos e planos do Senhor.

Em Galátas 5:19-21, Paulo fala sobre o que nossa alma busca, sobre as obras da carne. Quando deixamos que os desejos de nossa alma controlem nossa vida, vivemos de forma imatura no âmbito emocional. A maturidade emocional só vem com a maturidade espiritual. É preciso avançar em Deus para que possamos “vencer” a nossa alma.

Mulheres imaturas emocionalmente brigam sem motivo, estão em todo o tempo gritando e ofendendo as pessoas. Elas têm atitude agressiva em todo o tempo.

As mulheres não têm dado conta de ser esposa, profissional, dona de casa, mãe e serva de Deus por falta de maturidade emocional. Pra Iara conta que quando ela era jovem, as mulheres davam conta de mais atividades. Ela percebe que hoje a imaturidade emocional é tão grande entre as mulheres que elas não suportam as responsabilidades.

A murmuração é uma evidência clara da imaturidade emocional e espiritual. Aquilo que ocupa a nossa boca mostra bem como somos. Se gastamos tempo falando dos outros, envolvidas em fofocas, reclamando das dificuldades, amaldiçoando a nossa vida e a dos outros, refletimos aí nossa profunda imaturidade.

Precisamos falar mais de nós e das coisas que Deus tem operado em nós. Devemos proferir a Palavra em todo o tempo e focarmos em Deus. A maturidade emocional nos ajuda a falar de nós sem orgulho ou soberba, conseguimos falar de nossas dificuldades, conseguimos pedir ajuda.

Ciúmes, discussões, insubmissão são algumas evidências de mulheres imaturas. E para finalizar a Pra Iara fala sobre a manipulação que tem sido a maior falha das mulheres. Em 1Reis 21 vemos o momento em que Acabe se entristece porque não consegue comprar uma vinha que tanto queria. Jezabel, a manipuladora, arma e dá a vinha para ele. Quando manipulamos nosso esposo com cara feia, greve de fome, greve de sexo, manha, estamos agindo como Jezabel e deixando que este espírito nos guie. A manipulação inverte os papéis em casa e também cria um ambiente completamente impróprio para uma vida saudável.

“É preciso se render ao Senhor, buscar a maturidade espiritual para que com a ajuda de Deus possamos vencer nossas dificuldades emocionais e assim “crescer”. Avançando para Deus permitimos que nossa alma se submeta às vontades Dele e somente assim poderemos ser pessoas melhores e alinhadas àquilo que Deus tem para nós neste mundo”, finalizou Pra Iara.


About Author

Edificando Um Novo Lar

O Edificando Um Novo Lar atua nesta área há mais de 27 anos e tem como proposta oferecer um acompanhamento sistemático aos jovens e adultos em fase preparatória para a vida a dois.

Leave a Reply

Busca

Reflexão do Dia

"Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?" (Mateus 16:26). Jesus disse que, por mais que o homem se esforce e até mesmo ganhe o mundo inteiro, de nada valerá seu esforço se vier a perder sua alma. Podemos fazer uma analogia deste versículo com a família. Existem pessoas que se matam de trabalhar quase que ininterruptamente: dia e noite, noite e dia, entra ano sai ano. Estão sempre ligadas, como se houvesse nelas um gerador que funciona 24 horas por dia. Não se sentem no direito de um tempo de descanso e relaxamento com a família. Férias então? “Nem pensar.” “É pura perda de tempo!”. O seu principal foco é sempre o trabalho. Alguns até dizem que seu nome é “trabalho” e o sobrenome “hora extra”. Não é bom que seja assim. Todo exagero é prejudicial. Foi Deus quem determinou ao homem trabalhar. E isso desde o Jardim do Éden. É preciso trabalhar, pois é através do suor do rosto que são gerados os recursos para o sustento familiar. No entanto, faz-se necessário que marido e esposa estejam atentos às necessidades mútuas bem como de seus filhos. Uma família que o marido sai cedo chega tarde e não tem condições de usufruir da companhia dos filhos até mesmo nos finais de semana crescerá manca. Há que se considerar também a esposa que se vira para dar conta dos afazeres do lar. Cuida das crianças e ainda resolve outras questões por causa da ausência do marido. E quando também a mulher se encontra nesta condição? Neste caso quem sofre são os avós, colocados por muitos como babás de seus netos. Maridos e esposas, tenham consciência da necessidade de viverem a vida comum do lar com discernimento. Procurem dar qualidade ao tempo livre. Chegar a casa de verdade, doar-se um ao outro, ouvir as crianças, brincar com elas, procurar saber do cônjuge como foi o dia são atitudes que facilitam e ajudam a manter uma família alegre, unida e feliz. Trabalhem, produzam, mas não se esqueçam da família. De nada adiantará todo o sucesso profissional mediante o fracasso na família. ------------------- Texto: @ciro.depaula -------------------- #EdificandoUmNovoLar #Family

Uma publicação compartilhada por Edificando Um Novo Lar (@edificandoumnovolar) em

Newsletter

Fique por dentro das novidades do Ministério Edificando Um Novo Lar! Inscreva seu e-mail e receba diariamente novidades, notícias, mensagens, etc!